Notícias

 

Porto Alegre reduz focos de concentração de descarte irregular de resíduos

18/03/2016

Tema foi abordado durante a primeira edição da Reunião Almoço Saneamento Ambiental em Foco, promovida pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - Seção Rio Grande do Sul (Abes-RS)

A diminuição de pontos de descarte irregular na cidade de Porto Alegre foi um dos temas destaques na Reunião Almoço Saneamento Ambiental em Foco. Segundo dados apresentados pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), houve nos últimos dois anos a eliminação de 170 pontos onde havia concentração de resíduos provocando risco de doenças e proliferação de focos do mosquito Aedes aegypti, por exemplo. Atualmente o DMLU recolhe cerca de 10 mil toneladas/mês em ações de limpeza pública. Além disso, 25 mil toneladas/mês são recolhidos da coleta domiciliar, sendo 30% de fração potencialmente recicláveis. O processo todo envolve cerca de 3 mil trabalhadores na limpeza em Porto Alegre.

O tema foi abordado na Reunião Almoço "Saneamento Ambiental em Foco", promovida pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - Seção Rio Grande do Sul (Abes-RS). O evento foi realizado no Hotel Continental, em Porto Alegre, nesta sexta-feira (18/03). O palestrante foi o diretor geral do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) de Porto Alegre, André Carús, que apresentou um balanço da situação atual do município e ações que estão sendo feitas destacando a importância, por exemplo, do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.

- Desde que o Plano foi implantado, tem orientado todas ações de gestão do Departamento e o grande legado que deixa, não só pelas metas ou linhas de planejamento já aplicadas, é que trata-se de um plano que não responde por gestões políticas. Tem ações e características para serem usadas em futuras gestões que venham a assumir o comando do DMLU, de modo que os futuros gestores possam ter nesse trabalho um parâmetro fiel daquilo que a cidade necessita no que diz respeito ao gerenciamento integrado dos resíduos sólidos urbanos - afirmou Carús.

A apresentação também ressaltou a importância do novo Código Municipal de Limpeza Urbana sancionado em 8 de janeiro de 2014. Desde então, foram aplicadas 2.220 multas provocando um efeito pedagógico importante. Na Coleta Seletiva da capital, o órgão reformulou o sistema de logística passando a atuar por setores aumentando a eficiência sem onerar os cofres públicos. Entre as ações mais recentes o destaque foi a duplicação da coleta automatizada que ocorreu entre janeiro e março desse ano agregando mais 1.200 contêiners para cidade.

O presidente da Abes-RS, Alexandre Bugin, destacou a importância que o tema tem na sociedade e agradeceu o trabalho dos técnicos do DMLU, enaltecendo o trabalho que vem sendo feito na capital e que tem servido de exemplo.