Notícias

 

Saneamento é tema de Reunião-almoço na Federasul

02/12/2014

A qualidade do saneamento foi tratada durante a Reunião-almoço "Saneamento Ambiental Em Foco", realizada pela Abes-RS. O encontro trouxe o diretor geral do DMAE, Flávio Ferreira Presser, para apresentar a participação da empresa no PQNS e o coordenador de Obras de Saneamento do Pisa, Valdir Flores, para apresentar o andamento do Programa Integrado Socioambiental (Pisa) da Prefeitura de Porto Alegre.

Para o vice-presidente da ABES-RS, Alexandre Bugin, eventos como a reunião-almoço oportunizam a comunidade técnica e a sociedade de ficarem cientes dos projetos que estão em andamento para a melhoria da qualidade de vida da cidade.

Entre estes projetos está o Programa Integrado Socioambiental (Pisa) da Prefeitura de Porto Alegre que visa tratar todo esgoto da capital. Conforme o coordenador de Obras de Saneamento do Pisa, Valdir Flores, de todo o projeto somente a Estação Elevatória EBE Restinga não está pronta e em funcionamento. Segundo Flores, foram 24 contratos de obra que hoje bombeiam 1500 litros por segundo para tratamento, que representa 110 mil metros cúbicos de esgoto tratado por dia.

- Já estamos com aval da Fepam para tratarmos 2500 litros por segundo, representando 180 mil metros cúbicos de esgoto por dia. Começamos a operar no dia 20 de março deste ano com uma vazão pequena de 500 litros. De março a outubro já tratamos 11 milhões de m³ de esgoto - conta.

Um dos objetivos do Dmae com o Pisa é colocar Porto Alegre equiparada com cidades de primeiro mundo em tratamento de esgoto.

- O Pisa junto das demais ações previstas pelo DMAE no plano diretor de esgoto fará com que Porto Alegre chegue a 2030 tratando, no mínimo, 80% do esgoto gerado.

Outro objetivo é a balneabilidade do Lago Guaíba. Flores explica que os afluentes do Lago Guaíba formados por cinco rios trazem efluentes poluídos da região metropolitana e que o Estado, através Corsan, já trabalha em programas de obras para tratamento.

- A balneabilidade do Guaíba não depende somente do DMAE. Com Porto Alegre tratando seus esgotos e a região metropolitana avançando para resolver o problema do tratamento esperamos que em 10 anos o Lago Guaíba apresente condições de melhorias adequadas para balneabilidade - projeta.

Ao todo, foram investidos R$ 586,7 milhões no programa, com financiamento de R$ 203,4 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e de R$ 316,2 milhões da Caixa Econômica Federal, com contrapartida de R$ 67,1 milhões da prefeitura.

Outro tema abordado da reunião-almoço foi a participação do DMAE no Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento (PNQS), oferecido pela Abes. A empresa recebeu o diploma "Rumo a Excelência" pelo trabalho realizado com a implantação do sistema de gestão em 2006. Conforme o diretor-geral do DMAE, Flávio Ferreira Presser, a participação no prêmio prepara a cidade para um ambiente regulatório no saneamento e a melhoria contínua dos processos internos.

- Estamos com estudo feito e elaborado com uma consultoria internacional financiada pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para constituir uma agência de regulação no município de Porto Alegre e o prêmio incentiva o ajuste dos indicadores para este ambiente regulado - explica.

A reunião-almoço "Saneamento Ambiental Em Foco" ocorreu na segunda-feira (01/12) no Salão de Eventos da Federasul com realização da Abes-RS com apoio do Dmae, Corsan e Governo do Estado do Rio Grande do Sul.